O universo dos aviões, tecnologias, história e muito mais.

Raider_2.jpg

Conheça o Raider, o helicóptero de conceito revolucionário americano

 

Até 2020 o exército norte americano deve operar o helicóptero mais rápido já produzido. O maior desafio deve ser a verba a ser liberada para os planos de produção do helicóptero leve de ataque Sikorsky S-97 Raider.

 

A indústria americana Lockheed Martin (antiga Sikorsky), está planejando uma nova família de helicópteros com um conceito que emprega rotor contra rotativo coaxial e hélices propulsoras empregando tecnologia fly-by-wire para alcançar velocidades acima de 400 km/h. Essas tecnologias são estudadas atualmente no programa X2.
Esta família de helicópteros de alta velocidade inclui o conceito do aparelho de alta velocidade denominado S-97 Raider além de versões de um sistema de pouso e decolagem vertical não tripulado (VUAS) baseado nos modelos operacionais UH-60 Black Hawk e Boeing AH-64 Apache.

Raider_1.jpg

São esperados pedidos de dois órgãos norte-americanos de estudos avançados. Um já estaria em andamento pelo US Department of Future Vertical Lift (FVL) ou Departamento Norte Americano para Voo Vertical do Futuro. Isso inclui classes de aeronaves leves, médias e pesadas além das denominadas “ultra”, que são os de transporte pesado com capacidade para cargas de 53 toneladas.

O projeto VUAS da Lockheed para utilitários médios e militares de ataque médios são aplicáveis no FVL do governo americano.
O segundo pedido é do US Army Aerial Armed Scout (AAS) ou Aeronave de Escolta Armada, para coleta de informações e atividades de avaliação em combate, gerenciado pelo programa interno do escritório executivo de aviação do Exército americano, baseado no Arsenal Redstone no estado do Alabama. Atualmente as missões de escolta aérea do US Army são cumpridas pelo helicóptero Bell OH-58 Kiowa.
A missão secundária do futuro S-97 Raider será a AAS (escolta aérea armada). O helicóptero terá a configuração para tripulação em tandem (biposta frente a frente) transportando mísseis Hellfire guiados, foguetes de 2,75 polegadas além de canhões de 0.5 e metralhadoras 7.62mm. O peso máximo do S-97 será da ordem de 3.900 kg, incluindo um tanque auxiliar interno, com alcance estimado em 570km e tempo superior de 2.7 horas  em velocidade máxima de 370 km/h.

O Raider empregará um projeto de oito asas rotativas, com 4 unidades para cada rotor o que segundo a empresa americana “suavisa” o voo e reduz as vibrações. Os rotores serão impulsionados por um motor 2.600Hp de potência.
O diretor do programa AAS da Lockheed, Steve Engebretson declarou que o projeto do Helicóptero Raider está recebendo tecnologias estudadas em outros projetos que foram contratadas pelo Departamento de Defesa americano.

 

Primeiro voo para o Raider

O primeiro voo do protótipo do Raider aconteceu em 22 de maio de 2015 com o segundo modelo prestes a realizar a primeira decolagem.
O primeiro protótipo está sendo testado como demonstrador da tecnologia de fase final e o segundo empregando o conceito aplicado ao projeto X2 militar.

Raider_4.jpg

A última revisão do projeto aconteceu em agosto de 2011 não havendo surpresas de percurso de acordo com Engebretson.
A Lockheed está construindo os protótipos do Raider com recursos próprios e dos parceiros fornecedores de partes e peças do helicóptero incluindo a recente adesão da empresa Aurora Flight Sciences que participa do projeto e construção desses protótipos.
Foi divulgado que a fornecedora do motor do protótipo do Raider será a General Electric com um modelo classe CT7-8 que terá a potência entre 2.500 a 3.000shp. O motor também será empregado nos helicópteros Lockheed S-92 e MH-60M.
Em modo helicóptero com as hélices traseiras impulsionadoras desligadas, a Lockheed está afirmando que o seu modelo de rotor coaxial produzirá a metade do ruído de um Boeing AH-6 Little Bird ou um Kiowa Warrior. Essas afirmações da empresa americana são baseadas nos resultados obtidos nos testes de ruídos gravados com velocidades em torno de 185km/h com o demonstrador de tecnologias do projeto X2.
Engebretson não divulgou quais as outras empresas parceiras, mas espera que todas sejam anunciadas logo depois das assinaturas do contrato com o governo.  Ele disse também que há umas poucas empresas que farão parte da parceria no projeto, mas que ainda não chegaram a um acordo para a entrada na empreitada.

raider_benefits.png

A Lockheed não quer divulgar o valor a ser investido no desenvolvimento do projeto, mas disse que o custo até agora com os testes preliminares com o X-2 passa de 50 milhões de dólares.
Bem como o Raider, a Lockheed submeterá outras “possibilidades” de aeronaves ao requerimento AAS, mas não disse quais são essas possibilidades.
O US Army declarou que está “pedindo informações para melhor entender o alcance máximo das propostas do helicóptero leve armado e ataque leve”.
Engebretson prefere descrever os quatro conceitos da Lockheed como helicópteros de missões para que o demonstrador X2 possa ser aplicado.
A versão VUAS pode ser candidato a Força Aérea Americana esperando a aquisição no esperado Follow-On Unmanned Aircraft System (F/O UAS) ou Sistema de Aeronave Não Tripulada Seguinte.  O DoD (Departamento de Defesa), espera que a USAF possua em torno 100 desses helicópteros não tripulados até 2021 com as operações sendo iniciadas até 2018.
O projeto F/O UAS é visto como o sucessor do General Atomics MQ-9 Reaper (aeronave não tripulada de reconhecimento e ataque). Com sua capacidade de voos a velocidades de 370km/h, o VUAS também pode ser capaz de ser aplicado a missões do Corpo de Fuzileiros Navais americano (US Marine Corps) pelo Grup 4 com seus UAS que passará a cumprir missões de vigilância e ataque. O DoD planeja tornar essas aeronaves dos Marines operacionais até 2019.
Os conceitos de helicóptero médio e militar de ataque fazem parte de estudos da Lockheed financiados pelo DoD. Esses estudos obedecem aos termos do contrato com bases no Joint Multi Role (Multi Missão Conjunta) ou JMR. O JMR faz parte do projeto FVL do Departamento de Defesa americano.

A Lockheed está nesse momento focada no JMR debruçada no projeto do helicóptero de tamanho médio, pois representa a maior parte de pedidos para a frota como os das classes Black Hawk e Apache.
As especificações requeridas divulgadas para o JMR são: velocidade mínima de cruzeiro de 315 km/h com máxima desejada de 555 km/h, capacidade de carga 7.500kg ou 24 passageiros e alcance acima de 400 km. O demonstrador de tecnologia para o JMR deve voar em 2017.
Segundo a Lockheed, “somente o projeto X2 fornecerá alto desempenho total e preservará todos os atributos para um helicóptero como, eficiência em voo, em baixas e altas velocidades com alto desempenho.”

Raider_5.jpg

O DoD também financiou a empresa Piasecki Aircraft com sua bancada de estudos X-49, um Lockheed SH-60F Seahawk com estrutura modificada ao qual foi adicionada um par de asas, uma cauda equipada com hélices rodeadas por um duto e com vetorização que fez seu primeiro voo em 2007. Entretanto o Tilt Rotor ao qual a Lockheed se refere por meio do diretor Steve Engebretson é o Bell Boeing V-22 Osprey.
Comparando o conceito do X-2 ao Osprey, Engebretson disse que somente o X2 pode fornecer “longo alcance e altas velocidades”, capacidades que o V-22 também oferece enquanto também mantém seus “atributos como helicóptero”.

O concorrente direto da proposta da Lockheed é o helicóptero de rotor coaxial contra rotativo com hélices impulsionadoras, OH-58D AVX da empresa AVX sediada em Fort Worth, Texas nos Estados Unidos.
A proposta da empresa americana AVX, formada por ex-engenheiros da Bell, é uma variante da aeronave que está em serviço pelo US Army, Bell OH-58D Kiowa Warrior.
Ocupada promovendo a tecnologia X2 para o governo americano cobrir suas necessidades de missões de decolagem vertical, a Lockheed ainda não tem uma posição de como fornecerá estes helicópteros de rotores coaxiais e hélices impulsionadoras para exportação.
A política de exportação destes aparelhos ainda não está clara dentro da empresa, mas Steve Engebretson disse que conversas com o Departamento de Estado americano foram iniciadas sobre como serão conduzidas as aprovações de exportação.
No momento o Armed Aerial Scout ou Aeronave de Escolta Armada será o primeiro teste para a tecnologia X2 de rotor contra rotativo coaxial e hélice impulsionadora e seu conceito S-97 Raider. Se ele vencer, o rotor de cauda será coisa do passado para os helicópteros militares americanos num futuro próximo.

Hercules de Araujo


 

Especificações e dimensões do S-97 Raider


Peso máximo para missões AAS

(Escolta Aérea Armada)               3.657kg
Peso máximo de decolagem       4.254kg

 

Performance

Tempo em missão                         >2.7 hs

Alcance                                       >600 km

Velocidade de cruzeiro           >370 km/h
Capacidade para transporte em um

C-17                                           4 unidades

Armamento                                                  Mísseis Hellfire                                                          Foguetes 2.75”

             Canhão  .50

             Metralhadora  7.62mm

Dimensões

Comprimento                          10.75 m

Largura                                      2.92 m

Diâmetro do rotor                            10 m

 

Capacidade furtiva

Baixa assinatura acústica

Alta velocidade de cruzeiro

Sistema de controles fly-by-wire

Agilidade em missões aéreas aproximadas

Capacidade de municiamento adicional

LATERAL - Desenho Raider.jpg